Como tratar a depressão pós parto

Diversos são os assuntos que cercam o período da gestação, quando se trata do parto esses assuntos praticamente triplicam. Uma das preocupações mais tradicionais das mulheres com relação ao parto é a depressão que pode aparecer após esse período. Logo após você dar a luz existe grandes chances de você passar por um período complicado de readaptação e problemas psicológicos afinal este é um momento de plena instabilidade emocional física e mental.

Vale lembrar que os sintomas e a intensidade da depressão pós-parto variam de acordo com cada tipo de mamãe, esse problema tende a se desencadear por volta do décimo quarto dia depois da data do parto onde as coisas já voltaram ao normal e você se deu conta de que ganhou uma nova forma de vida e terá de se adaptar a ela. Apesar de muitos não concordarem com isso é uma típica doença normal.

Mesmo sendo considerada uma doença, ou seja ‘um período’ normal o mais correto é que assim que forem notados os sintomas da depressão pós-parto você procure imediatamente um médico que tem como função lhe ajudar a superar e a sair dessa fase que sem dúvida pode ser considerada uma das mais difíceis na vida de uma mulher que se transformou em mamãe de forma tão inesperada e rápida.

Muitas mulheres julgam-se fortes e preparadas para o momento do parto, no entanto acabam perdendo a confiança em si, por isso não se surpreenda se isso acontecer com você todas as mulheres estão sujeitas a apresentar tal problema, saiba que este problema é facilmente diagnosticado e tratado, no entanto necessita de acompanhamento médico. Vamos analisarmos juntos alguns dos sintomas mais tradicionais da depressão pós-parto.

Os sintomas do problema são:
Muita tristeza, fadiga, irritabilidade, insônia, inquietação, ansiedade, lapsos curtos de memória, falta de interesse com o bebe, sentimento de culpa, medo de machucar o bebe, baixa auto-estima, falta de apetite, enjôos, horror a lembranças do parto, alterações de humor exageradas e freqüentes e falta de concentração.

Veja como evitar que a mesma se agrave:
– Retome sua vida, porem sem pressão se adapte a nova situação.
– Converse com seu parceiro e exponha seus sentimentos.
– Dedique um tempo para seu filho e você ‘apenas os dois’.
– Tire um tempo para você se recuperar.
– Admita que precise de ajuda quando necessitar.
– Não cobre de mais de você mesma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *