Pode não parecer, mas aprender a lidar com problemas emocionais é bem mais complicado do que conseguir dar solução aos problemas do dia a dia. Nosso sistema emocional comanda grande parte de nosso corpo ele é responsável por manter nossos órgãos funcionando em pleno estado além de ser responsável pela saúde externa de nosso corpo.

Quem diria que doenças como o câncer podem ser geradas por um inicial problema emocional não é; devido a isso um especialista da universidade de estudos psicológicos afirmou que é muito importante aprender a controlar os nossos impulsos emocionais e a lidar com situações que envolvam o coração e também o sistema estável de cada pessoa.

Todos nós temos um limite e é importante não ultrapassá-lo, uma coisa que ajudaria a controlar impulsos emocionais é se expressar mais, o êxito das soluções é garantido quando se age com a mente ao invés do coração. Isso nos orienta a não nos fecharmos de mais, mas expressar tudo aquilo que queremos e não guardar para nós mesmos nossos desejos.

É claro que existem coisas que não precisam necessariamente ser ditas, mas o medo não pode te impedir de dizer aquilo que o incomoda. Além do mais se importar com os outros tem certo limite, quando se trata de problemas emocionais você deve se importar com você inicialmente, você precisa cuidar de si mesmo para poder assim conseguir cuidar de outros.

Manter o coração alegre é o primeiro passo para tratar qualquer problema emocional, encontrar a paz em pequenas coisas por mais que não pareça faz muita diferença em nossa vida, você precisa olhar para si mesmo e ver um vencedor e não um fracassado por que somos aquilo que fazemos de nós mesmos, somos apenas o nosso alto retratado.

‘É impossível permitir que os pássaros voem sobre sua cabeça. Mas você pode impedir que eles construam um ninho sobre ela. ’ Ou seja, os problemas são iminentes, mas podemos permitir ou não que eles tomem conta de nós sendo assim lidar com problemas emocionais se trata apenas de força de vontade; vontade de viver e dar vida ás outras pessoas.

Deixe uma resposta